Breve história da matemática no processo de ensino e aprendizagem
Ter, 05 de Julho de 2011 13:40

Bruna Catiúscia Fagundes Almeida[1]

Fernanda Alves da Silva[2]

 

RESUMO: Este trabalho consiste na apresentação dos resultados de uma pesquisa bibliográfica, desenvolvida com o objetivo de conhecer quais as contribuições da utilização da História da Matemática no Processo de Ensino e Aprendizagem da disciplina. Para realização dessa pesquisa buscou-se na literatura os conceitos sobre a História da Matemática, bem como, argumentos que pudessem servir para investigar se o uso da História da Matemática pode mesmo contribuir no êxito dos processos de ensino e aprendizagem desta disciplina. É dada ênfase à necessidade de uma integração da História da Matemática com a própria Matemática, sendo contextualizada e relacionada também com outras disciplinas. Nesse sentido, a discussão apresentada tem por base de estudo as contribuições de Miguel (1997), Souza (2005), Viana (S/D), Arantes (2002) e Nobre (1996).

 

PALAVRAS-CHAVE: História. Matemática. Ensino.

.

1. Introdução

A História da Matemática permite-nos compreender a origem das ideias que deram forma à nossa cultura e observar também os aspectos humanos do seu desenvolvimento: enxergar os homens que criaram essas ideias e estudar as circunstâncias em que elas se desenvolveram.  Segundo o Prof. da USP, Dr. Francisco César Polcino Milies (2011), esta história é um valioso instrumento para o ensino/aprendizado da própria matemática. Podemos entender porque cada conceito foi introduzido nesta ciência e porque, no fundo, ele sempre era algo natural no seu momento.

 

Este artigo consiste apresentação dos resultados de uma pesquisa bibliográfica, desenvolvida com o objetivo de conhecer quais as contribuições da utilização da História da Matemática no Processo de Ensino e Aprendizagem da disciplina. Para realização dessa pesquisa buscou-se na literatura os conceitos sobre a História da Matemática, bem como, argumentos que pudessem servir para investigar se o uso da História da Matemática pode mesmo contribuir no êxito dos processos de ensino e aprendizagem desta disciplina. É dada ênfase à necessidade de uma integração da História da Matemática com a própria Matemática, sendo contextualizada e relacionada também com outras disciplinas.

Os resultados obtidos confirmam as contribuições proporcionadas pelas potencialidades pedagógicas do uso da História da Matemática em sala de aula, e que essa se constitui num instrumento promotor de aprendizagem significativa e compreensiva da Matemática.

A pesquisa foi elaborada a partir da revisão teórica da literatura sobre a História da Matemática, a partir da contribuição de vários autores, dentre os quais Miguel (1997), Souza (2005), Viana (S/D), Arantes (2002) e Nobre (1996). Estes possibilitaram perceber as contribuições do uso da História da Matemática como instrumento auxiliar ao Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática.

 

2. A pesquisa: Breve História da Matemática no Ensino

No desenvolvimento da pesquisa, buscamos respostas para algumas questões que permeiam a inclusão dos contextos históricos da matemática, no ensino da Matemática, como:

Ø  A História da Matemática pode contribuir na compreensão dos conceitos matemáticos?

Ø   Como realizar sua abordagem no ensino em sala de aula?

Após a análise de alguns contextos favoráveis ao uso da História da Matemática, percebemos algumas contribuições positivas da História da Matemática no Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática. Muitos autores recorrem à história para procurar diversos argumentos que se tornem favoráveis e úteis ao processo de ensino e aprendizagem. O mesmo acontece com a História da Matemática que pode oferecer diversos argumentos reforçadores e questionadores sobre as potencialidades pedagógicas da matemática no seu processo de ensino e aprendizagem. Assim,

[...] devemos encarar com certa prudência a suposta importância pedagógica da história [...] parece-nos mais adequado assumir uma posição intermediária que acredita que a história – apenas quando devidamente reconstituída com fins explicitamente pedagógicos e organicamente articulada com as demais variáveis que intervêm no processo de planejamento didático – pode e deve desempenhar um papel subsidiário em Educação Matemática (MIGUEL,1997, p. 101).

A História da Matemática pedagogicamente orientada, isto é, uma história viva, elucidativa, presente, ativa e humana, sugerida por MIGUEL (1997), diferente das simples histórias evolutivas das ideias matemáticas, podem trazer contribuições favoráveis para uma prática pedagógica problematizadora, levando,

[...] a reconstituição, não apenas dos resultados matemáticos, mas sobretudo dos contextos epistemológico, psicológico, sócio- político e cultural, nos quais esses resultados se produziram, contribuindo, desse modo, para a explicitação das relações que a matemática estabelece com a sociedade em geral (MIGUEL, 1997, p.103).

Ao discutir as práticas educativas da Matemática sobre suas origens, tradições e desenvolvimento, nas perspectivas da História da Matemática, encontramos elementos que resgatam o avanço e a herança cultural que foram trazidas pelas gerações passadas e que compreendem o registro desses fundamentos. Desse modo, torna-se imprescindível recorrer à história para compreensão da Matemática, e assim também de seus conceitos. Essa busca pelo desenvolvimento histórico da matemática e sua devida utilização contribuem no processo de desmistificação das crenças e mitos que predominam sobre o conhecimento matemático, onde,

[...] a matemática é vista como divina livre das imperfeições humanas, portanto inquestionável e deve ser apenas aprendida; a matemática é tida como perfeita e rigorosa, portanto é garantia de maior certeza; a matemática é para poucos, quem domina as técnicas de resolução, domina a matemática (SOUZA, 2005, p.117).

Dessa maneira, a História da Matemática orientada para uma prática pedagógica de caráter investigativo, também influencia no combate as ideias de supervalorização que essa disciplina possui de ser inquestionável, de acessibilidade restrita, vinda de pessoas escolhidas e de que esta é a verdade absoluta. Ou seja, direcionar o ensino da matemática como uma manifestação cultural, advinda do conhecimento de várias civilizações e suas necessidades, proporciona ao aluno uma visão diferenciada do surgimento dos conceitos matemáticos, diferente da Matemática apresentada pelos livros didáticos e até pela sociedade.

A História da Matemática pode contribuir no Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática por compreender em si muitas potencialidades pedagógicas favoráveis à construção do conhecimento matemático, contribuindo como,

[...] fonte de motivação, de objetivos, de métodos, de seleção de problemas práticos, curiosos, informativos e recreativos; é instrumento de desmistificação e desalienação do ensino, de formalização de conceitos, de promoção do pensamento independente e crítico, como unificador dos vários campos da matemática, de promotor de atitudes e valores, de conscientização epistemológica, promotor de aprendizagem significativa e de resgate da identidade cultural (VIANA,S/D, p.5).

Essas contribuições oferecidas pela História da Matemática só surtem efeitos modificadores quando são utilizadas com fins pedagógicos e juntas na interação com a Matemática, resgatando sua própria identidade cultural. Dessa forma, torna-se importante levar em consideração, de acordo com Arantes (2002, p. 3), [...] “a necessidade e riqueza dos relacionamentos proporcionados pela história da matemática enquanto integrante da própria matemática e de outras áreas da ciência.” Assim, ajudando a entender as relações existentes entre seu surgimento e o estado formalizado que se encontram hoje.

Durante o Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática é necessário desenvolver no aluno uma postura crítica e questionadora a cerca dos conceitos, conteúdos e resultados matemáticos, gerando dessa forma uma aprendizagem significativa pela qual, as relações da matemática com o mundo que os cerca, deixariam de serem acreditadas como acontecimentos naturais. “Ou seja, o aluno utiliza somente o produto relativo a um processo [...] e esse resultado passa a ser visto como se fosse natural’’(NOBRE, 1996, p.35).

Não é possível tratar do ensino da Matemática sem a existência de um processo histórico, a ser considerado a partir da ocorrência dos processos e das modificações tecnológicas e da própria evolução humana. Neste contexto, “os porquês devem ser retomados ao pensamento da humanidade. Por isso, propomos que se fomente o pensamento questionador aos alunos em uma aula de matemática’’ (IDEM, p. 29).

A seguir são citadas algumas contribuições da utilização da História da Matemática pedagogicamente orientada – identificadas em nossa pesquisa – no Processo de Ensino e Aprendizagem da Matemática.

  • Contribui para uma aprendizagem significativa dos conteúdos matemáticos;

  • Fornece ferramentas que auxiliam na desmistificação da matemática;

  • Contribui para um ensino da Matemática humanizado, que leva o aluno a despertar a curiosidade e interesse pelo mundo que o cerca, ajudando a promover o pensamento questionador;

  • Ajuda a resgatar e entender a herança cultural da própria Matemática.

  • A partir de seu desenvolvimento histórico é possível levar ao conhecimento de outras áreas da Ciência;

  1. Considerações finais

As ideias apresentadas, anteriormente, constituem-se na demonstração do quanto é importante à abordagem histórica para a compreensão dos conteúdos matemáticos na construção do processo de ensino e aprendizagem.

Defendemos a busca na História da Matemática pelos argumentos que justificam suas necessidades de utilização na apresentação dos conceitos matemáticos. Essa é uma maneira de melhorar a construção das potencialidades pedagógicas necessárias para desempenhar uma aprendizagem significativa, e para isso é preciso incluir uma História da Matemática pedagogicamente orientada no processo de ensino.

Acreditamos que o conhecimento oferecido na sala de aula pelos educadores precisa desempenhar ações que orientem os alunos a desenvolverem questionamentos e reflexões sobre os resultados dos conceitos matemáticos. Desse modo, direcionar o encontro das respostas na ocorrência do desenvolvimento histórico da Matemática e até permitir o encontro de novas descobertas.

 

4. Referências bibliográficas

MIGUEL, Antonio. As potencialidades pedagógicas da História da Matemática em questão: argumentos reforçadores e questionadores. In: ZETETIKE-CEPEM, FE/ UNICAMP, - V.5- N.8- Jul/Dez. De 1997, p. 73-103.

NOBRE, Sérgio. Alguns “porquês” na História da Matemática e suas contribuições para a Educação Matemática. In: Cadernos CEDES 40. História e Educação Matemática. 1ª ed. Campinas, SP: Papirus. 1996. P. 29-35.

SAD, Ligia Arantes. História da Matemática no ensino e aprendizagem: de intrigante a integrante. Rio de Janeiro: UERJ, 2002.

SOUZA, Josimar de. Tempos Modernos e outros Tempos para a “rainha da ciência”: a matemática com “conhecimento de pouco para poucos”. Caderno Fênix Ciência. Ciência Diversidade e Educação. Ano I, n.2. Cáceres: Unemat, 2005. P 113-120.

VIANA, Marger da Conceição Ventura. Concepções de Professores de Matemática Sobre a Utilização da História da Matemática no Processo de Ensino-Aprendizagem. Disponível em:
<http://www.limc.ufrj.br/htem4/papers/15.pdf > Acesso em: 20/05/2011.



[1] Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Matemática, da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

[2] Acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Matemática, da Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

 

 

Agenda da Educação

Outubro 2014
D 2a 3a 4a 5a 6a S
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1

Enquete

Que tipo de Formação Continuada você gostaria de receber do CEFAPRO?
 
Free template 'Feel Free' by [ Anch ] Gorsk.net Studio. Please, don't remove this hidden copyleft!